Período Romano

Anel com aro de bronze, onde parece conservar-se uma pequena conta em bronze ou cobre. A mesa, em metal férreo, é plana e oval, e sobre ela conserva-se ainda parte da pedra, de âmbar ou cornalina. Este anel foi recuperado no dedo de um dos enterramentos, uma menina com cerca de 15 anos de idade.

Entre os séculos I e V, o espaço hoje ocupado pelo NARC foi essencialmente ocupado por estruturas industriais de transformação e conserva de preparados piscícolas salgados. Foram reconhecidas sete fábricas construídas em patamares descendentes no sentido ocidental, até ao leito da ribeira/esteiro da Baixa. Os tanques – cetárias – e pátios estão revestidos com opus signinum e apresentam nas arestas as características meias-canas. Foi também identificado um conjunto de edifícios rectangulares de apoio à área fabril que, num determinado momento, são desactivados para construção do conjunto residencial com um balneário (termas).

Planta do balneário constituído por um átrio quadrangular, pavimentado com um mosaico polícromo, que dava acesso aos frigidaria (tanques de água fria).